Passar para o conteúdo principal

Duas dezenas de restaurantes de Bragança aderem à Semana Gastronómica do Bacalhau

A iniciativa, promovida pela ACISB, decorre de 9 a 17 de abril e os restaurantes vão incluir nas ementas o “Bacalhau à Bragança”, uma recriação de uma receita recolhida em Bragança nos anos 80, por Maria Odete Cortes Valente.

“Bacalhau à Bragança” é a designação dada ao prato que todos os restaurantes aderentes vão incluir nas suas ementas, recriando esta receita com a denominação “à Bragança”. Para além do bacalhau o prato inclui diversos ingredientes muito usados no território, como o azeite, batatas, alho, cebola, louro, ovos, pimento vermelho e o “colorau” (pimentão moído), uma influência da vizinha Espanha, que usa este produto com muita frequência na sua gastronomia.

A receita foi partilhada com todos os aderentes que, respeitando na essência a forma de confeção e os ingredientes, vão dar o seu toque especial porque, dizem, “a mesma receita, feita por chefs diferentes, não sai igual”.

Para além deste prato cada um tem total liberdade para estimular a sua criatividade e surpreender o cliente, com menus completos ou pratos soltos integrados na ementa.

O bacalhau não sendo um produto local é, provavelmente, o peixe com maior importância na gastronomia transmontana. A razão é simples, historicamente era um produto relativamente barato, com enorme facilidade de conservação, nutritivo, saboroso e com uma imensidão de formas de o confecionar, resultando em pratos muito diferentes. Nas atividades agrícolas ainda hoje o bacalhau faz parte da ementa e dos alimentos que se transportam para as merendas no campo. É habitual fazer bacalhau frito e salada de bacalhau, por exemplo, na vindima. Em ambos os casos, sendo um prato principal, pode consumir-se frio, o que é mais uma vantagem obvia.

A Semana Gastronómica Bacalhau, que se realiza em plena Semana Santa, pretende também enaltecer a história das gentes do interior e permitir compreender os seus hábitos alimentares, condicionados também pela distância em relação ao mar.

O bacalhau transformou-se de simples género alimentar em símbolo da identidade portuguesa, de comida socialmente conotada com situações de abstinência e mesmo própria de pobres, em alimento caro e prestigiado no campo gastronómico. O que se observa é que este peixe tem um papel marcante na vida e na cultura dos portugueses, que reconhecem o bacalhau como algo que os remete às suas origens, à sua terra natal, fazendo parte da memória coletiva de um povo.

Esta importância do bacalhau na nossa gastronomia é bem conhecida em Espanha, grandes apreciadores do produto, que nos restaurantes portugueses manifestam uma visível preferência e muita procura pelos pratos de bacalhau. E é esta a razão comercial que levou a ACISB promover a iniciativa, criar mais motivos de visita a Bragança, com foco especial na vizinha Espanha, que por tradição tira férias durante a Semana Santa, tendo maior disponibilidade para viajar e para se deslocar a Bragança por motivos gastronómicos.

Mas na mira dos restaurantes estão também os clientes portugueses e os locais, a quem querem surpreender, usando de tradição, mas também de invocação e criatividade, transformando aquele que em tempos foi o alimento dos pobres, em escolhas requintadas e sofisticadas, cheias de aroma, cor e sabor.

 

Lista de Participantes:

  • Quinta das Queimadas – Panorama
  • Quinta Dona Florinda
  • Quinta do Lagar
  • Tasca Noz
  • Tasca do Zé Tuga
  • Taberna do Javali
  • Restaurante Geadas
  • Restaurante Emiclau
  • Restaurante Rosina
  • Restaurante O Cavaleiro
  • Restaurante Restaurador
  • Restaurante Pincantone
  • Restaurante Tribuna
  • Restaurante Típico D. Roberto
  • Restaurante 2/4 de Pimenta
  • Restaurante O Javali
  • Restaurante O Acácio

 

Sobre

A Associação Comercial, Industrial e Serviços de Bragança (ACISB) é uma associação sem fins lucrativos e de duração ilimitada.

  • 273 331 947 | 273 332 172
  • geral@acisb.pt
  • Rua Abílio Beça, n.º92 – 1º Andar | 5300-011 - Bragança